Micoses: o que são? - Audioderma - Dermatologia clínica
 

Micoses

micoses

As micoses são doenças causadas por fungos que atingem a pele, as unhas e os cabelos.

 

Como os fungos precisam de umidade para se desenvolver, são particularmente frequentes nos trópicos, onde existem condições ideais de calor e umidade, necessárias para o desenvolvimento dos fungos. Portanto as micoses são mais comuns no verão, pois nesta época transpiramos mais e estamos mais suscetíveis a este tipo de infecção.

Tipos

 

São exemplos de micoses superficiais a pitiríase versicolor, as tinha, a candidíase e as onicomicoses.

Pitiríase Versicolor

 

Micose muito comum, especialmente entre jovens, de evolução crônica e recorrente. Indivíduos de pele oleosa são mais susceptíveis a apresentar esse tipo de micose, também conhecida como micose de praia ou pano branco, e que é causada por fungos do gênero Malassezia.

 

Apresenta-se clinicamente como manchas brancas, descamativas, que podem estar agrupadas ou isoladas. Normalmente surgem na parte superior dos braços, tronco, pescoço e rosto. Ocasionalmente, podem se apresentar como manchas escuras ou avermelhadas, daí o nome versicolor.

 

 Veja também:

Tineas (tinhas)

 

Micoses causadas por um grupo de fungos que vive às custas da queratina da pele, pelos e unhas. Estes fungos podem ser zoofílicos (encontrados em animais), geofílicos (encontrados no solo) e antropofílicos (encontrados nos homens).

 

As tinhas manifestam-se como manchas vermelhas de superfície escamosa, crescem de dentro para fora, com bordas bem delimitadas, apresentando por vezes pequenas bolhas e crostas.

 

Candidíase

 

Micoses causadas pela cândida podem comprometer isoladamente ou conjuntamente a pele, mucosas e unhas. É um fungo oportunista, assim, existem situações que favorecem seu desenvolvimento, como baixa da imunidade, uso prolongado de antibióticos, diabetes e situação de umidade e calor. A candidíase pode se manifestar de diversas formas, como placas esbranquiçadas na mucosa oral, comum em recém-nascidos (“sapinho”); lesões fissuradas no canto da boca (queilite angular) mais comum no idoso; placas vermelhas e fissuras localizadas nas dobras naturais (inframamária, axilar e inguinal), ou envolver a região genital feminina (vaginite) ou masculina (balanite), provocando coceira, manchas vermelhas e secreção vaginal esbranquiçada.

 

Onicomicoses

 

A micose quando acomete as unhas recebe o nome de onicomicose. É a principal causa de alteração ungueal nos consultórios dermatológicos. Acomete tanto as unhas dos pés quanto as das mãos. São raras na infância com predomínio maior no adulto. Geralmente a unha se descola do leito e se torna mais espessa. Além disso, pode haver mudança na coloração e na forma.

 

Diagnóstico das micoses

 

Para a confirmação diagnóstica, existe um exame laboratorial conhecido como exame micológico direto. Assim, confirmamos a presença do fungo e estabelecemos o tratamento de acordo com o tipo de infecção adquirida.

Tratamento das micoses em geral

 

O tratamento das micoses é realizado com medicamentos antifúngicos tópicos ou orais. No entanto, no caso da onicomicose o tratamento é difícil e muito prolongado.

Prevenção das micoses

 

Hábitos higiênicos são importantes na prevenção das micoses, assim como usar somente o próprio material ao ir à manicure. Secar-se sempre muito bem logo após o banho, principalmente nas dobras, como, por exemplo, as axilas, as virilhas e os dedos dos pés. Além disso, é importante evitar o contato prolongado com água e sabão. Não andar descalço em locais que sempre estão úmidos, como vestiários, saunas e lava-pés de piscinas. Não ficar com roupas molhadas por muito tempo ou compartilhar toalhas, roupas, escovas de cabelo e bonés, pois esses objetos podem transmitir doenças. Por fim, também é recomendado não usar calçados fechados por longos períodos e optar pelos mais largos e ventilados.

 

Evitar roupas muito quentes e justas e aquelas feitas em tecidos sintéticos, pois não absorvem o suor, prejudicando a transpiração da pele.

WhatsApp chat