Septoplastia

Chamamos de septoplastia a correção cirúrgica do septo nasal.

 

O septo nasal é uma estrutura composta por ossos e cartilagem, responsável pela divisão das fossas nasais. Esta divisão deveria ser simétrica, mas dificilmente isso ocorre. Por isso, a maioria das pessoas apresenta graus variáveis de desvio do septo nasal. Uma grande porcentagem destes desvios são pequenos e assintomáticos.

 

A indicação para correção cirúrgica do septo nasal, ou septoplastia, ocorre quando a pessoa apresenta um desvio que traga sintomas de obstrução persistente e ou complicações decorrentes deste problema como, por exemplo, sinusites de repetição.

 

A avaliação prévia em consultório vai permitir identificar se o paciente apresenta ou não indicação para a septoplastia.

 

Em primeiro lugar, através da história clínica, o otorrinolaringologista vai poder avaliar a frequência e a intensidade da obstrução nasal e quais transtornos são gerados no dia a dia do paciente. Na sequência, através do exame clínico com a realização da rinoscopia anterior e visualização das fossas nasais, já é possível detectar a presença ou não de alguns tipos de desvio do septo nasal.

 

Muitas vezes, no entanto, há necessidade de exames complementares. Não só para avaliar a extensão do desvio do septo nasal, mas também para checar a presença ou não de complicações associadas. Nestes casos solicitamos a nasofibroscopia, um exame no qual, através de uma microcâmera, pode ser examinada toda a fossa nasal. Isso permite uma melhor avaliação do septo nasal, inclusive de sua porção mais posterior.

 

Associada à nasofibroscopia, a realização da tomografia computadorizada permite investigação de outras alterações dentro dos seios paranasais e a presença de eventuais quadros associados.

 

A correção cirúrgica do septo nasal, ou septoplastia, é realizada sob anestesia geral em ambiente hospitalar. Todas as incisões são feitas por dentro do nariz não deixando cicatriz aparente.

 

Hoje em dia, com o surgimento de novas técnicas, o uso do tamponamento nasal, ou curativo dentro do nariz no pós-operatório, não é mais necessário. Com o passar dos anos as técnicas cirúrgicas estão se tornando cada vez menos invasivas e, por consequência, gerando uma recuperação muito mais tranquila no pós-operatório.

 

A associação da turbinectomia, cirurgia para corrigir os cornetos nasais é extremamente frequente, permitindo melhorar ainda mais a permeabilidade das fossas nasais.

 

Normalmente, a septoplastia requer um curto período de internação. Assim, um paciente que realiza o procedimento no período da manhã pode ter alta no mesmo dia.

 

No pós-operatório imediato, pequenos sangramentos podem ocorrer e a recuperação da respiração acontece de maneira progressiva com o passar dos dias.

 

Os primeiros dias de pós-operatório necessitam de repouso e ingestão de alimentos mais leves. O uso de soluções salinas para limpeza das cavidades nasais é muito importante. O retorno às atividades normais ocorre após 7 dias; para atividades físicas leves recomenda-se aguardar 3 semanas.

WhatsApp chat