ZUMBIDO – QUE BARULHO INSUPORTÁVEL!

ZUMBIDO – QUE BARULHO INSUPORTÁVEL!

De onde vem esse apito que não para nunca? Esse é o famoso zumbido, que alguém sempre comenta que ouve 24 horas por dia

“O zumbido é um barulho nos ouvidos ou na cabeça, sem qualquer correspondência com os sons presentes no ambiente. E é um sintoma, não uma doença, que pode ser decorrente de várias causas”, explica Profa. dra. Jeanne Oiticica, otorrinolaringologista do HC-FMUSP.

Presente em cerca de 28 milhões de brasileiros, o zumbido pode aparecer em algum momento da vida e se repetir com o decorrer dos anos, especialmente, após os sessenta anos. “Existem vários tipos de zumbido, alguns são agudos, outros graves. Os mais comuns são apito, chiado, cigarra, grilo, cachoeira, panela de pressão, motor, escape de ar. Há os que lembram as batidas de um coração ou as batidas de asa de um inseto. Nesses casos, sua origem ocorre fora da orelha, em vasos sanguíneos ou músculos próximos aos ouvidos”, continua a médica.

Associado, geralmente, a algumas doenças do ouvido, como a labirintite, perdas auditivas, exposição prolongada a ambientes muito ruidosos ou ao uso de medicamentos, o zumbido pode ser decorrente do acúmulo de cera nos ouvidos ou mesmo por infecções no órgão responsável pela audição. “A solução é simples para esses dois últimos casos. A remoção da cera ou tratamento da infecção resolve o problema. Existe o zumbido provocado por alterações no metabolismo incluindo os distúrbios de açúcares, de gorduras – aumento do colesterol ou dos triglicerídeos ou de hormônios da tireoide no sangue, que são facilmente resolvidos adotando dieta adequada ou introduzindo o medicamento específico. Porém, ele pode ser provocado por problemas circulatórios, distúrbios da articulação da mandíbula ou contratura dos músculos do pescoço”, diz ela.

Tratamento e cura

Segundo a médica, deve-se tratar primeiro as causas reversíveis e controláveis e reavaliar o resultado sobre o zumbido depois de algum tempo. “O tratamento pode incluir dietas restritivas e fracionadas, correção de erros alimentares, medicações, fisioterapia, tratamento com o dentista para corrigir problemas na articulação da mandíbula, avaliação psiquiátrica e psicoterapia. Há medicamentos disponíveis no mercado que podem melhorar o zumbido em até 50% dos casos e a adaptação de aparelho de audição ou próteses auditivas pode melhorar não só a capacidade de ouvir por meio de amplificação dos sons como também diminuir a percepção e o incômodo do zumbido. O importante é procurar ajuda o mais cedo possível”, diz a médica.

Fonte: Revista Ouvir Bem

No Comments

Post A Comment

WhatsApp chat